segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Reunião com Diretoria da ACIAC discute sobre celebrações de Dezembro, o Natal, o Reveillon e o Aniversário da Cidade.


O Secretário Municipal de Cultura, Turismo e Lazer de Carangola, Francisco Cabral, esteve reunido na última sexta feira com empresários para discutirem e realizarem em conjunto uma forte Campanha para as Festividades do Natal e do final de ano. Também participaram da reunião o Presidente da ACIAC Ney Lemos, os Diretores da ACIAC e empresários Juarez da Status e Rosângela Morando da Contém 1g Make UP, o Padre Jamir, Cynthia V. Machado representante da Sociedade 21 de abril, Lúcia Gerente da Aciac e "Cretinho" Assessor da Secretaria de Cultura.
Na oportunidade foram apresentadas propostas a serem realizadas nas festividades do mês de dezembro. Da reunião ficou definido um esboço das ornamentações de Natal e que as festividades terão início no dia 1º de dezembro com a Abertura das Comemorações. Logo após, a Novena e as Comemorações do Jubileu de Santa Luzia e uma apresentação especial de um grupo musical convidado no dia 12 dezembro e o encerramento das Festividades e Comemorações do Jubileu de Santa Luzia no dia 13. A partir do dia 18 apresentações culturais com dança, musicas, Festival de Corais, Cantatas de Natal, um Festival Gastronômico de Comidas Típicas Natalinas e as Comemorações Natalinas se encerrando com  o generoso gesto do Natal da Família Nolasco que anualmente, há 14 anos, distribuem mais de 1000 cestas básicas à população carente.
O sorteio de prêmios da ACIAC deverá ser realizado no dia 29 de dezembro e uma proposta de realização do REVEILLON POPULAR também foi apresentada pelo Secretário Francisco Cabral e encerrando as festividades com a realização do Aniversário de Carangola no dia 07 de janeiro com um grande grito de carnaval e o sorteio especial dos da Promoção dos SUPERMERCADOS MARINHO.
A proposta da ornamentação de natal, de ter a assinatura da empresária Simone de Oliveira, foi aceita na reunião como grande marco dessa campanha. 
Precisamos valorizar as riquezas e os valores de nossa Terra. Incentivar o comércio, o turismo e as habilidades de cada um. Além de divulgar o comércio local. Estão abertas sugestões para essas celebrações. As reuniões são abertas e estão sendo divulgadas. Uma cidade se constrói com a participação e colaboração de todos. Estamos prontos a sermos parceiros desse desenvolvimento. O Prefeito César Ricardo tem dado total apoio nessas propostas. Destacou Francisco Cabral.


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Reunião com ACIAC, nessa sexta feira, irá definir projeto para as comemorações de fim de ano em Carangola.

O Secretário de Turismo, Cultura e Lazer de Carangola Francisco Cabral se reuniu com o Presidente da ACIAC Nei Lemos, a empresária Rosângela Morando proprietária da Contêm 1g Make Up e a Gerente da ACIAC Lucia para apresentar um projeto em parceria para a realização das festividades natalinas e do final do ano. Com o intuito de incentivar o comércio e valorizar a cultura local.
Uma nova reunião foi marcada para essa sexta feira(27) com a participação de outros colaboradores importantes ao projeto.
Uma coisa já ficou definida na proposta apresentada pelo Secretário. Toda a ornamentação do Natal terá a assinatura da artista plástica SIMONE OLIVEIRA que é a expressão maior da arte e do sucesso. Seus trabalhos levam o nome de Carangola para o mundo. Conforme destacou o Secretário.
Quem quiser participar e colaborar com essa proposta pode comparecer à ACIAC nessa sexta feira(27) às 16h. Pois sonho que se sonha junto é realidade. 



quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Trabalho de Tombenses é destacado em feira de produtos orgânicos em São Paulo pelo SITE UOL.

O trabalho pioneiro de produção de pães integrais orgânicos pela Empresa SECALE, desenvolvido e idealizado pela Tombense Rosângela Izidoro Cabral, residente em Porto Alegre(RS) ganhou destaque em matéria do site UOL em São Paulo. Onde  sua irmã Vera Lúcia Izidoro Cabral vem promovendo e divulgando os seus produtos em um crescente e específico mercado. 
Conheça a SECALE Pães Orgânicos. Clique aqui.


Feira noturna tem sorvete, pães e açaí orgânicos em São Paulo12 fotos

7 / 12
Vera Cabral faz parte da feira orgânica da AAO há um ano e vende pães, cucas e bolos integrais. O pão de forma custa R$ 8,50 e o bolinho de frutas, R$ 8 Junior Lago/UOL
Os consumidores de produtos sem agrotóxicos da capital paulista ganharam uma versão noturna da tradicional Feira do Produtor Orgânico, realizada no Parque da Água Branca, zona oeste da cidade. Desde a semana passada, os orgânicos também estão à venda toda terça-feira das 16h30 às 20h30.
A feira, organizada pela AAO (Associação de Agricultura Orgânica) desde 1991, mantinha apenas edições matinais, às terças, sábados e domingos
Além dos legumes, verduras e frutas sem agrotóxicos, as feiras contam com diferenciais como picolés, pães, macarrão artesanal e açaí congelado -- todos com ingredientes obtidos sem o uso de produtos químicos.  Às terças, o evento reúne cerca de 40 bancas com alimentos provenientes da agricultura familiar de Estados como Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Sorvete usa frutas e leite orgânico

O sorvete orgânico, por exemplo, é produzido com as frutas do sítio Mantí, localizado em Gonçalves (MG). Os picolés de amora e frutas vermelhas são feitos à base de água; o de atemoia, com leite orgânico da região. Cada um custa R$ 3,50.
Mauro Fernandes, dono do sítio, vende seu sorvete na feira há dois anos, e elogiou o novo horário. "Damos oportunidade para outras pessoas virem, principalmente as que trabalham durante o dia", disse.
Vera Cabral, expositora na feira há um ano, vende pães, bolos e cucas (bolos de origem alemã), feitos à base de óleo de palma, frutose, castanha-do-pará e uvas passas, com fermentação natural, sem lactose. Os produtos vêm de Porto Alegre e são preparados por sua irmã. "São todos 100% integrais", afirmou. A cuca orgânica custa R$ 9,50, e o pão de forma integral, R$ 8,50.
Já o produtor Virgílio Eudes Ramos, que está há cinco anos na feira, comemorou o novo horário pela possibilidade de mostrar os produtos naturais a um público maior. "Estamos abrindo mais uma porta para as pessoas conhecerem a alimentação orgânica", disse.
Ramos vende castanha-do-pará, açaí congelado e cacau em pó, entre outros produtos de origem amazônica. Ele próprio veio de Manaus, em 1998, para vender castanhas em São Paulo. "Larguei tudo lá e vim tentar a vida aqui", contou.
Ampliar


Conheça o viveiro de ervas e temperos da Sabor de Fazenda15 fotos

3 / 15
A Sabor de Fazenda cultiva cerca de 15 mil plantas de cem variedades diferentes, em um viveiro instalado na Vila Maria, zona industrial de São Paulo Leia mais Rodrigo Capote/UOL

Clientes aproveitam o parque antes das compras

Palmira Cruz, de 69 anos, se surpreendeu ao descobrir que poderá dançar no parque, e, depois, fazer compras. "É a primeira vez que venho no parque neste horário, por causa da feira, e vi que tem um baile para idosos ali", disse, animada. O Baile da Terceira Idade - Estação Vida acontece no parque toda terça, quinta e sábado, das 13 às 17h.
"É o meu mercado, compro tudo aqui; só consumo coisas orgânicas", afirmou Palmira Cruz, que frequenta as três edições diurnas da feira. "É bom porque compro aos poucos, assim não pesa".
Joana do Carmo Maia, de 77 anos, mora em Itaquera, na zona leste, e há quatro anos frequenta a feira orgânica. "Gostei desse horário novo porque, além de sábado, posso vir na terça também", disse.

O que faz um produto ser orgânico?

Para fazer parte da feira, o produtor precisa ter um certificado em seus produtos que comprove que são orgânicos, emitido por instituições como o IBD.
O secretário-executivo da AAO, Márcio Stanziani, afirma que o que faz o alimento ser orgânico vai além da exclusão do agrotóxico na produção. "O produtor tem de ser, antes de tudo, um preservador da natureza. As matas têm de ser preservadas, a água limpa e o solo vivo, sem agrotóxico e adubado com compostagem natural", disse.
Por conta da produção mais artesanal, existe a crença de que estes alimentos são obrigatoriamente muito mais caros do que os encontrados em feiras livres e supermercados. Segundo a AAO, a variação maior de preço acontece quando o produto orgânico chega aos revendedores. Quando é comprado diretamente do produtor, como ocorre na feira, sai mais barato, de acodo com o secretário da associação .
"Na época em que o tomate ficou caro no mercado, nós mantivemos o preço do orgânico, que gira entre R$ 6 e R$ 7 o quilo. Ou seja, estava mais barato que o normal e sem agrotóxicos", disse Stanziani.
Alguns vegetais apresentam pouca variação de preço em relação aos produtos convencionais. O maço de alface orgânico, por exemplo, é encontrado por R$ 2, enquanto na feira livre custa entre R$ 1 e  R$ 1,50. O repolho custa R$ 3; a cenoura, R$ 4; e a caixa de morango sai por R$ 15.
"O morango é mais caro porque é de difícil produção. É um alimento muito sensível", afirmou Stanzini.
Serviço:
Feira da AAO
Onde: Parque da Água Branca (Parque Dr. Fernando Costa) , São Paulo - entrada pela rua Dona Ana Pimentel, s/nº.

Quando: sábado e domingo, das 7h às 12h; e terça, das 7h às 12h e das 16h30 às 20h30

O que tem: bebidas, ervas, temperos, frutas, grãos, hortaliças, laticínios, mel, pães, biscoitos e produtos diversos
Ampliar


Veja imagens dos alimentos orgânicos da Korin17 fotos

4 / 17
Os ninhos são instalados dentro do galpão e cada galinha escolhe em qual deles quer botar; nas criações tradicionais as aves voltadas para produção de ovos vivem em gaiolas separadas Leia mais Rodrigo Capote/UOL
Fonte UOL. NOTA DO BLOG.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Abertura do 1º Carangola Harley Day no Calçadão. Com a presença especial do Repórter Laertes Torrens da Revista Moto Adventure.

Repórter Laertes Torrens( Revista Moto Adventure),
Silvio Lima( Empresário e Motociclista) e Francisco Cabral
(Éocombatente.com e Secretário Municipal de Cultura e Turismo)
Nessa sexta feira(20) os motociclistas de Carangola se uniram em uma deliciosa confraternização para reescrever e contar a história do motociclismo, pioneiro de Carangola, que data da década de 30 no século XX. Tendo sido o 2º Moto Clube fundado no Brasil e uma história de paixão dos motociclistas Carangolenses com a lendária marca Harley Davidson.
Na oportunidade o evento contou com a ilustre presença do repórter Laertes Torrens, da Revista Moto Adventure, que veio a Carangola especialmente para registrar e contar essa história nas páginas da Revista Moto Adventure.
Confiram os cliques especiais dessa sexta feira.















 Para continuar visualizando clique em mais informações a seguir.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

DIA NACIONAL DA CACHAÇA. Dia 13 DE SETEMBRO. Nós da Rota dos Alambiques das Cachaças no Caminhos das 3 Fronteiras do PICO DA BANDEIRA GM/RJ/ES comemoramos.

Já nos tempos coloniais, a produção de cachaça era uma importante atividade econômica no Brasil, levando a redução do consumo da bagaceira importada de Portugal. Preocupados com o sucesso da aguardente, os portugueses, através de uma Carta Real de 13 de setembro de 1649, proibiram a fabricação e a venda da cachaça em todo o território brasileiro.
Os proprietários de cana-de-açúcar e alambiques, indignados com as constantes cobranças de impostos aos longo dos anos e perseguidos por vender a bebida, se revoltam no dia 13 de setembro de 1661 e tomam o poder no Rio de Janeiro por cinco meses resultando em um dos primeiros movimentos de insurreição nacional, a Revolta da Cachaça.
Com o poder restituído, o movimento é repreendido com violência e o seu líder, Jerônimo Barbalho Bezerra, é enforcado e decapitado, tendo sua cabeça pendurada no pelourinho da cidade, como exemplo à população fluminense.
Hoje, todo o dia 13 de setembro se comemora o “Dia Nacional da Cachaça” como uma forma de relembrarmos os tempos de um Brasil colonial, quando a cachaça era símbolo de resistência contra a dominação portuguesa. VEJAM ALGUMAS CURIOSIDADES


Fonte UOL Economia.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Comunidade da Conceição lança sua marca de café: FRUTO FINO.

Escolhido entre 85 nomes sugeridos pelos alunos da Escola Municipal João Batista Grossi. Foi criada a marca FRUTO FINO o café que é produzido na Comunidade de Conceição, pelas famílias agricultoras cafeeiras, daquela comunidade no município de Carangola.
Em um trabalho visualizado e desenvolvido pelo Casal Helmut e Julênia. Também proprietários e produtores de café naquela comunidade.
O lançamento da Marca que leva em seu rótulo no verso o nome das famílias produtoras. Diferenciando cada trabalho e todos os detalhes, o café FRUTO FINO, quer ocupar uma lacuna e um destaque na agricultura familiar no cenário internacional.
No próximo domingo ele estará sendo lançado na maior feira do Café do Estado de Minas Gerais em BH. A Feira Internacional do Café.
Julênia agradeceu ao representante da EMATER Sr Amarildo o importante trabalho e apoio no desenvolvimento desse projeto de certificação do café e em todo o processo de produção.
A jovem aluna da Escola João Batista Grossi, Zila, que sugeriu o nome FRUTO FINO recebeu como presente a 1ª embalagem personalizada do produto.
O Prefeito César Ricardo e sua esposa Eunice Soares, presentes ao evento, receberam também uma amostra desse lançamento.
Portanto, a partir de então, o café da Comunidade de Conceição estará sendo difundido, divulgado e comercializado com essa nova marca: FRUTO FINO. Um trabalho de valorização, geração de emprego e renda para aquela importante comunidade.