sábado, 9 de fevereiro de 2019

O registro da dificultosa rotina de educadores. Percorrendo distâncias e trabalho em 2 turnos nas escolas e a rotina continua quando chegam em casa.



Uma rotina comum, que vivemos em nosso cotidiano, decidimos compartilhar. Para que outros conheçam e reconheçam o valor do trabalho dos Profissionais da Educação em seu dia a dia. 
Para começar vamos relatar o antes do começo do ano letivo. Pois ao final do ano letivo de 2018 muitos profissionais da educação já buscavam se organizarem para o próximo ano. Já que o concurso do Estado muitos desses ainda não foram todos nomeados e aqueles nomeados nem sempre estão próximos aos seus lares.
Pois bem, final do ano letivo de 2018, enfim férias. Férias??? Sem o 13º salário no Estado e com atrasos no pagamento em Carangola e em vários municípios: Nada de férias.
Logo no começo de 2019 a busca pelas vagas. Felizmente conseguiu. No entanto a cerca de 60 kms de casa(ida e volta 120kms/dia). Como fazer? Morando em Faria Lemos e dando aula na Comunidade de São Pedro do Glória pela manhã e à tarde em Carangola. Unindo com outros que também tem a mesma dificuldade. Então vamos minimizar esse sofrimento e partilhar a facilidade do acesso. Rachando o transporte. Um dia no carro de um. Outro dia no carro de outro. Esses que tem carro. Vamos lá então. 
Saindo de casa às 05:30h, ainda escuro, saímos de Faria Lemos e passamos por Carangola(15kms).
Antes lembrarmos que uma serviçal que precisa estar às 6h em Carangola também foi nossa companhia e em Carangola mais uma batalhadora nos acompanha até a mesma Escola em São Pedro do Glória. 
Passamos por Fervedouro, depois de mais 30kms e, outra nos acompanha até São Pedro do Glória. Cerca de 15kms por estrada de terra que poderia estar melhor sem as tradicionais costelas. Já que a região é de muito saibro. 
Ao chegarmos na Escola em São Pedro do Glória já no início das aulas às 7h e lá ficamos até às 11h. De lá partimos de volta. Pensa que a rotina terminou? Nada! Agora o 2º turno à tarde em Carangola e outra parceira em turno da tarde em Espera Feliz. Dependendo de caronas e/ou ônibus e permanecendo em seus compromissos até às 17h. Já são cerca de mais de 12h na corrida do dia a dia. Agora é hora de ir para casa. Casa? Chegando em casa é hora de alguns afazeres domésticos(que não são poucos) que tem que serem feitos às pressas porque tem que se preparar as aulas do dia seguinte. Isso vai no mínimo até às 23h. Então é hora de dormir. Pois daqui há pouco é hora de tudo de novo.
Esse nosso relato é uma forma de homenagear à todos os educadores(as). Vivemos esse cotidiano com alegria e felicidade. Trabalhoso, dificultoso e nem sempre reconhecido. Seja pelas autoridades e muitas das vezes pela própria população.
A todos vocês o nosso carinho, reconhecimento e os nossos parabéns. Que o criador lhes dê forças o suficiente para essa batalha cotidiana. Eu vi e vejo as dificuldades. Por isso sempre o nosso carinho e nosso reconhecimento. 
Vocês todos(as) são grandes Guerreiros(as) COMBATENTES. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário